Taaaania @ 16:37

Sab, 01/09/07

Podia bem facilmente abrir uma revista cor-de-rosa para fazer um post dedicado a estas aves raras que agora pululam na nossa sociedade. Não sabemos a maioria das profissões, ou afinal de que é que este povinho chique vive. Não me consigo convencer, como dizem, que vivem de rendimentos ou mesmo que têm profissões - mas daquelas a sério do género padeiro, advogado, director de marketing ou trolha. Na maioria são relações públicas de discotecas da moda. Até é giro...

Eu gosto sempre muito porque depois a ex-namorada de um acaba sempre por vir a ser a futura noiva do outro e no fim vai dar tudo à Elsa Raposo ou à Cinha Jardim (vá-se lá saber porquê!)

Mas hoje o post vai mesmo dedicado a esse maravilhoso formato que é a telenovela. Fui ao Google fazer pesquisa (sim, que o rigor é muito bonitinho...) e então actualmente estão no activo:

  • Doce Fugitiva;
  • Ilha dos Amores;
  • Morangos com Açúcar;
  • Paraíso Tropical;
  • Pé na Jaca - parece que acabou ontem!
  • Chiquititas;
  • Floribella;
  • Vingança;
  • Eterna Magia;
  • Paixões Proibidas;
  • Primeiro Amor.

Acho que não me esqueci de nada, senão perdoem.

Não acompanho nenhuma destas pérolas porque não tenho muita paciência para este tipo de formato. Mas de certeza que se visse o primeiro episódio de todas, provavelmente adivinharia o último, mesmo sem ver mais nenhum. É por isto que não acompanho novelas. Será que é assim tão difícil inovar?!?!?

Então cá vai o meu argumento, que de certeza que já viram em qualquer uma destas preciosidades:

  1. Tem de haver uma família pobre e outra rica;
  2. A segunda geração de cada uma das famílias apaixona-se;
  3. Há uns que são bons e outros que são maus; Nunca se assistiu a uma novela só com pessoas boas ou só com pessoas más. Mas o mais importante é que esta dicotomia é muito vincada: não há pessoas que tenham qualidades e defeitos; há apenas pessoas que ou só têm defeitos ou só têm qualidades;
  4. O rico apaixona-se sempre pela menina pobre;
  5. O casal de apaixonados é inseparável mas depois surge sempre um terceiro elemento que vai destruir este amor.
  6. 50 episódios mais à frente o casal volta a apaixonar-se e desta vez é para sempre;
  7.  No final tudo acaba como esperado e o Amor triunfa!
  8. Os maus são castigados mas é sempre da mesma forma: ou ficam doidos ou morrem (normalmente de acidente)
  9. Se quiserem provocar emoção, metem-se umas gémeas pelo meio, que não se conhecem e (lá está) que haja a dicotomia - a BOA e a MÁ;
  10. Para chegar a todos os públicos, agora há o hábito de haver um casalinho gay de quem toda a gente gosta - é para parecer moderno... 

E pronto. Cá está o argumento de uma história de sucesso garantido, sobretudo se passar na TVI...

 



carla @ 15:43

Qui, 27/09/07

 

realmente é tal e qual conforme descreveu.
qualquer dia vou escrever uma novela ou só com gente boa até as "gémeas" ou só com gente má

mais sobre mim
Setembro 2007
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
12

17
21
22

23
24



blogs SAPO