Taaaania @ 22:03

Seg, 26/10/09

 

 

Magnífico. Sem finais esperados ou trabalhados para agradarem ao espectador, uma história cativante do princípio ao fim. A ver para aqueles que gostam de música, grandes actores e histórias sensíveis.

 

 


Tags:


Taaaania @ 11:10

Sab, 03/10/09

 

visto entre muito choro e muito más recordações.

 

 


Tags:


Taaaania @ 19:10

Sab, 27/06/09

A rever de novo o Braveheart. Resultado: baba e ranho. Porque é que me meto a ver estas merdas se já sei que aquilo é amor demais para este coraçãozito?

 

 




Taaaania @ 21:32

Seg, 27/04/09

Não há nada como ir ao cinema ver filmes que parece que muita gente ignora. Que maravilha ter uma sala vazia por nossa conta, sem putos irritantes ao berros e a atirar pipocas e a dar risadas de estupidez. Por falar nisso, ninguém quer avançar comigo numa petição para expulsar a canalhada dos cinemas? Reparem no post anterior, 25 de Abril sempre :)

 

 

 

Pois que fui ver o This is England, um grande filme inglês, dedicado sobretudo a nós que nascemos nessa década. As influências do punk, as roupas, as músicas, as botas da moda, as maquilhagens extravagantes, os skinheads, os novos ideais, tudo muito bem esgalhado, num filme despretencioso mas de grande alcance social e psicológico. Com uma banda sonora maravilhosa e interpretações fantásticas, sobretudo do puto que faz de Shaun e que agora não me apetece investigar o nome do piqueno. Mas que fez o seu primeiro filme e que, vi eu num documentário anterior ao filme, com o seu ar de rufia disse no casting que se estava a cagar para a fama ou o reconhecimento, que queria fazer o filme porque queria era ganhar umas coroas, mas que depois, na sua primeira exibição, chorava de orgulho pelo papelão que fez.

Aconselhável a todos, sobretudo aos filhos dos fantásticos anos 80. Let's look at the trailer.

 

 

E agora estou a pensar ir ver este.

 

 

Por razões óbvias, para queles que me acompanhasm há mais tempo :)

Agora só falta a vacina anti-putos e convencê-lo a ele de que o Wolverine é o filme do ano, e que isto não tem nada a ver com o Huguinho, que aqui até está feio com esta cara de lobo mau. Ai, ai...

 

 

 




Taaaania @ 23:17

Dom, 22/03/09

Já não me lembrava de chorar num filme, principalmente no cinema. Hoje foi o dia. Cortesia de Clint Eastwood e do seu Gran Torino. Que é deslumbrantemente belo. E me corroeu com a dor da falta da minha figura paterna, que partiu há um ano e poderia muito bem ser aquele Wally protector, carinhoso, atento e corajoso. Ou o filme é de uma grande sensibilidade, ou sou eu que sou muito sensível. É que bateu mesmo lá no fundo. E vi-o lá tantas vezes na tela que parece impossível.

 

 

 

 


Tags:


Taaaania @ 12:09

Seg, 23/02/09

Eu sou daquelas que fica acordada a fazer serão para acompanhar a cerimónia. Ainda por cima desta vez caiu muito bem, já que não tinha de me levantar cedo para ir trabalhar. Mas confesso que mesmo que tivesse, nunca desistiria da minha cerimónia preferida. E que dizer se juntarmos à paixão cinematográfica, o senhor Hugh a fazer a mais espantosa apresentação de todos os tempos dos óscares, fazendo esquecer o senhor Billy Cristal?

 

Amigos, para além de ser indubitavelmente o homem mais sexy do mundo (lol), ainda canta espantosamente, dança e diz piadas com uma naturalidade estonteante! É a perfeição em pessoa, que espectáculo de espectáculo!

 

Em relação à coisa propriamente dita, acabou por ser uma desilusão por não haver um pouquinho que fosse de surpresa. Slumdog Millionaire arrasou a concorrência e quase que fazia o pleno. Devo dizer que, ao contrário da maioria que parece ser extremamente consensual, não achei o filme maravilhosamente belo. Achei um filme bom, jovial, feliz, anti-crise como alguém o descreveu. Mas daí a ser uma obra-prima vai um bom pedaço. Aliás, de todos os filmes nomeados, só ainda não vi o The Reader e posso dizer que me entusiasmei muito mais com Milk ou mesmo Frost/Nixon, que apesar de ser um filme pesadamente político, é maravilhoso. Milk sim, encheu-me as medidas. 

E apesar de ainda não ter visto The Wrestler, fiquei mesmo muito muito muito feliz por Sean Penn ter vencido o óscar. Porque ninguém, tal como dizia De Niro, se consegue esconder dentro de si próprio para dar origem a uma outra personagem como tão bem o faz Sean Penn. Uma delícia. Totally agree. Como ainda não vi a Kate Winslet, vou-lhe dar o benefício da dúvida ;) Mas confesso que estava a torcer pela Anne Hathaway, que faz uma interpretação que me arrebatou no fime Rachel getting married. Fica para a próxima que a Kate também já merecia, que andava meio esquecido o diacho da miúda.

 

De resto, tudo normal. Uma palavra para os vestidos que estavam muito fraquinhos. E todos iguais. Mais imaginação precisa-se.

 

 

 

 

 




Taaaania @ 22:34

Dom, 04/01/09

... passar três horas (e eu passava no mínimo outras três) de boca aberta, a babar para uma tela enorme onde aparecia este senhor...

 

 

 

 

 

assim nuns planos ditos interessantes e depois andava uma loira lá pelo meio, e um puto mestiço, e uns cavalos e uns bois. Mas isso não interessa nada. Meninas, isto sim é material de qualidade, assim de um altíssimo nível mesmo. Muito, mas muito, mas muito mais apetecível que o George Cloney que bem se pode render ao charme e carisma deste... pedaço de mau caminho! Nossa senhora!

 

 




Taaaania @ 10:43

Sab, 13/12/08

Foram já divulgados os nomeados aos Globos de Ouro. Este ano, não há um filme que se destaque particularmente dos outros, o que faz prever uma competição mais renhida. Assim, com 5 nomeações, surgem os filmes  The Curious Case of Benjamin Button, de David Fincher; de que eu já falei por aqui algures e que realmente me desperta uma curiosidade imensa! Frost/Nixon, de Ron Howard e Doubt, de John Patrick Shanley. Com quatro nomeações surgem The Reader, de Stephen Daldry; Revolutionary Road, de Sam Mendes; Slumdog Millionaire, de Danny Boyle e Vicky Cristina Barcelona, de Woody Allen.

 

Nos nomeados para melhor actor secundário, suge a novidade Heath Ledger, justíssima por sinal, mas que é algo surpreendente pela morte do actor. Vamos lá ver se o moço recebe a conderação que seria mais do que óbvia se a sua morte não lhe viesse roubar a glória que merecia.
 

 

Para verem a lista completa, passem por aqui

 

 




Taaaania @ 16:41

Sab, 15/11/08

 

...e nem sei que vos diga. Tinha lido muito acerca do filme, tudo críticas más, diga-se de passagem, o que não me retirou minimamente a curiosidade de o ir ver. Quero lá eu saber! Devo ser a maior fã de Saramago. E a menos que o filme transformasse o livro numa banalidade ou algo semelhante, seria impossível não gostar.

E foi impossível não gostar. Às vezes apetecia desviar o olhar, repetir cá dentro um "nós não somos assim", "eu nunca seria assim", para me convencer que aquela realidade é totalmente inventada pelo génio do escritor.

Mas é ainda mais assustador quando, nua e cruamente, penso que se de facto acontecesse uma tragédia do género, não me espantaria que o degredo fosse aquele, que viessem sobretudo à tona as más qualidades do homem, a ganância, a cobiça, a sede de vencer, o egoísmo, a falta de princípios básicos de moralidade and so on and so on...

 

Eu adorei. A fotografia, algumas passagens em câmara lenta, os disapears de certas personagens, o branqueamento do ecrã de cada vez que alguém cegava (trata-se de uma cegueira branca, e não preta como quase todos nós imaginamos que seja a cegueira), as representações arrepiantes, sobretudo da mulher do oftalmologitsa, a senhora Julian Moore que é a única a não cegar mas que, tal como dizia o trailer, era muito pior, naquelas circunstâncias, ver do que não ver. 

 

Aterrorizador. Mas nada monocórdico ou repetitivo como muitos o apontam. Nunca me pareceu longo ou chato demais. É violento, sim, talvez em demasia, também. Mas é muito fiel ao livro. Embora a leitura nos deixe ainda mais sem respiração.  A NÃO PERDER MESMO!

E assim completo o pleno: já li o livro, vi a peça de teatro no S. João e agora o filme do Sr. Meirelles que, a propósito, nunca vi em momento algum do filme, desrespeitar os cegos. Este pessoal saberá o que é uma metáfora?

 

 




Taaaania @ 10:13

Qua, 05/11/08

As minhas ultimas incursoes pelo cinema foram para ver cinema frances. Este foi o primeiro

 

 

 

De ir as lagrimas. Nunca na minha vida me ri tanto com um filme. A personagem principal faz mil e uma coisas para ser transferido para a zona chique de Franca, Cote dAzur, mas acaba por ir parar a Nord Pas de Calais, uma daquelas terreolas que todos desejam evitar. E e la que descobre a felicidade. Apesar de nao poder contar a ninguem, sob pena de lhe roubarem o prazer de ser la feliz. A ver sem falta. Fiquei ate ao fim das legendas, porque ate o raio das legendas tem piada, dasse... E sim, e a prova de que o cinema frances tambem tem qualidade e que se lixem la todas as comedias hollywoodescas, que nem aos calcanhares chegam desta perola.

 

 

Depois este  

 

 

Com a maravilhosa Juliette Binoche, este e um filme de sensibilidades, que junta uma serie de personagens em torno de um jovem que era dan;arino mas que, devido a um problema cardiaco, tem de abandonar o seu sonho e ver se confinado a observacao das pessoas que passam atraves de uma janela com uma vista maravilhosa sob Paris.

A ver, sobretudo para todos aqueles que, tal como eu, as vezes deixam passar a vida a sua frente, esquecendo se de como e importante apenas o facto de respirarmos e de alguem estar la para nos. Uma licao, portanto.

 

 

Ahhhhh, para quem ainda nao percebeu, estou sem acentos, sem pontos de exclamacao, sem cedilhas e sem nada na porcaria do teclado que se deve ter passado e que eu pondero vivamente atirar contra uma parede. Para ver se ele aprende.

 

 

 


Tags: ,


Taaaania @ 11:45

Seg, 15/09/08

Chamem-me os nomes que quiserem. Eu adorei reviver as músicas. Cantei a plenos pulmões e ainda fiz uns passinhos de dança. Ainda pensei levantar-me aquando do "Dancing Queen" e fazer a minha coreografia. Mas depois pensei nele. E nas vergonhas que de vez em quando o faço passar por ter a mania que posso fazer tudo o que me apetece. E fiquei sentadita. Mas sempre a cantar. Agora tenho de fazer o download para ver mais umas 50 vezes.

 

 

Ah! Faltou dizer que no cinema era só avozinhos fofos. E no fim bateu-se palmas. Nunca visto. Ah pois não. Lá se vai a minha reputação.

 

 

 

 


Tags: , ,


Taaaania @ 10:31

Seg, 11/08/08

 

Tivesse eu tempo e vontade, e escrevia umas linhas sobre esta maravilha de filme. Como não tenho, digo apenas que é da senhora Jennifer Lynch. Pronto. Acho que chega.

 

 

Ah!!!! Pela primeira vez na minha vida, fui obrigada a passar-me no cinema e mandar calar uma cambada de gajas histéricas que tiveram a infelicidade de decidir sentar-se na mesma fila que eu. E logo ontem que até estava mal-disposta. Mas pronto, foi remédio santo. Não as ouvi mais durante o filme todo.

 

 


Tags: ,


Taaaania @ 08:59

Seg, 21/07/08

 

 


Tags:


Taaaania @ 21:40

Qua, 02/07/08

The Curious Case of Benjamin Button

Do senhor David Fincher (Fight Club ou Seven)

Com o senhor Brad Pitt

E a senhora dona Cate Blanchett

 

 

 


Tags: ,


Taaaania @ 14:30

Sab, 03/05/08

 

 

esperando que faça juz à adaptação desta grandiosa obra literária...

 

 

 

 



mais sobre mim
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


subscrever feeds
blogs SAPO